Corrida de rua tira jovens e adultos do sedentarismo

Esporte ao ar livre, além de ser um exercício barato, promove saúde e emagrecimento


A corrida de rua é uma prática utilizada por jovens e adultos para sair do sedentarismo e iniciar atividades físicas. Por causa da corrida, novos atletas têm se destacado em competições e profissionais da área de educação física e organizam grupos para realizar assessoria esportiva. Além disso, a modalidade é considerada, por atletas e profissionais, uma prática auto desafiadora que proporciona melhoras na saúde e qualidade de vida.

O atleta americanense, Lucas Bissoli, conhecido por ter bons desempenhos em competições, não praticava atividades físicas, trabalhava e se sentia indisposto e cansado. Ele começou a correr há um ano. Já participou de 18 competições e ganhou um quinto lugar, um sexto lugar e 16 primeiras colocações consecutivas. Atualmente, o atleta sente que a corrida de rua proporcionou mais qualidade de vida. “Minha saúde melhorou muito, preciso de uma alimentação saudável. Sinto mais disposição e consegui fazer novas amizades”, afirma.

A última participação de Bissoli foi na Corrida Frequência da Vox 90, na Avenida Brasil, em Americana, na prova de 5km e conseguiu o primeiro lugar. No ano passado, ele se inscreveu para a mesma competição e terminou na quinta colocação.

Lucas Bissoli já participou de 18 competições. Foto: Natália Santana

Superar obstáculos da vida também é o significado de corrida para a atleta e esposa do técnico André Zappia, Lucilei Santos da Silva, de 29 anos, que também participou da Corrida Frequência da Vox 90. Ela começou a correr em 2004, participando de provas de atletismo e, atualmente, é treinada pelo marido para praticar a corrida de rua. “Correr proporciona auto superação. É preciso provar para si mesmo que consegue ser melhor a cada dia”, afirma Lucilei.

Além de romper os limites físicos, a corrida também proporciona melhor qualidade de vida. É o que diz o atleta Gustavo Henrique Pereira, de 27 anos, que ganhou o primeiro lugar na prova de 10km da Corrida Frequência Vox 90. Ele corre há quatro anos e já participou de cerca de 60 competições e venceu, em média, 30. Antes de começar a correr, o atleta não praticava atividades físicas e se sentia indisposto. Atualmente, acredita que a modalidade proporciona melhor condição de vida, além de sentir que tem   mais resistência física.

Gustavo corre há quatro anos e já participou de 60 competições. Foto: Natália Santana

A corrida também mudou a vida da professora de inglês Gabriela Alves Borges, de 22 anos. Ela não se exercitava, sentia muita preguiça e indisposição. Começou a praticar a corrida como atividade física há sete meses e esteve em sete competições. Conseguiu uma primeira colocação em uma prova de 10km. Segundo ela, a modalidade melhora a disposição e tornou-se uma necessidade.

O sedentarismo era a realidade na vida da fiscal de caixas Sabrina Alvarenga, de 26 anos. Ela só trabalhava e não praticava nenhum tipo de atividade física. A fim de melhorar as condições de vida e saúde, Sabrina descobriu a corrida de rua por causa da chefe. “Minha chefe me informou sobre um grupo de corrida da empresa em que eu trabalho. Com a corrida me senti mais disposta e saudável. Meu sono e minha alimentação melhoraram muito. Foi uma mudança de vida”, afirma.

Sabrina corre sem acompanhamento profissional e afirma que já sentiu dores na virilha depois de treinar. O educador físico, Tuka Ribeiro, aponta a importância de ter acompanhamento profissional para evitar lesões. “A principal recomendação é que o esportista encontre um profissional para dar devida assessoria, pois são inúmeras informações que um personal trainer pode transmitir ao aluno. A corrida pode parecer simples, mas é um dos exercícios que mais causa lesões”, disse.

Emagrecimento

Quem corre emagrecer precisa tomar cuidados com as lesões, pois o corpo precisa ser preparado para o exercício. Por isso, Ribeiro ressalta que é importante unir a corrida com outras atividades. “Se a pessoa quer emagrecer, ela precisa fazer a corrida, ter acompanhamento nutricional e também tem que se preocupar com as estruturas envolvidas para prática da modalidade”, explica Tuka.

Com a finalidade de emagrecer e por gostar da prática, a professora de inglês Lígia Mitidiero, de 44 anos, entrou no grupo de corrida de Tuka Ribeiro. No decorrer das atividades, sentiu melhorias corporais e psicológicas e a modalidade se tornou um hobby. “Eu parei de ter dores depois de fazer faxina na casa e minhas dores de cabeça pararam. Os resultados foram tão bons que o objetivo de emagrecer foi deixado de lado, tanto é que não perdi peso. Eu quero iniciar novamente esta caminhada para conseguir emagrecer, porque eu sinto que me atrapalha”, afirma Lígia.

Com o mesmo objetivo de Lígia, o estudante Agnaldo Júnior, de 18 anos, também entrou em um grupo de corrida para emagrecer e sentiu mudanças em vida. Ele procurou um tratamento nutricional e começou a fazer musculação. O estudante corre há um ano e meio e conseguiu perder 28kg. “A minha alimentação e meu sono melhoraram. Estou mais disposto para fazer tudo, até mesmo para estudar. Parece que tenho uma energia extra, que antes de iniciar a corrida eu não possuía”, disse.

Agnaldo perdeu 28 kg com a corrida. Foto: Natália Santana.

Atualmente, o estudante participa de várias competições, principalmente em Americana. Ele, geralmente, corre provas de 5km e já ganhou três corridas. Neste ano o foco é fechar a prova da Corrida São Silvestre com tempo de uma hora e vinte minutos. Além disso, o estudante deseja participar de uma maratona. “Não sei quando irei conseguir, mas eu vou correr”, conta o atleta.

Agnaldo corre com mais intensidade durante um minuto e diminui o ritmo durante 30 segundos, para melhorar a velocidade média O treinamento é realizado em grupo, organizado pelo educador físico e treinador Jair Souza. Cada aluno do grupo faz o mesmo treino, porém com intensidades diferentes.

Jair Souza no momento do treino. Foto: Natália Santana

A corrida como prática de atividade física é tendência na Região Metropolitana de Campinas (RMC), de acordo com os atletas e profissionais da área. O personal trainer Jair Souza acredita que a modalidade é a mais simples de ser praticada. “A corrida é moda e está em alta. A atividade é simples por ser uma progressão da caminhada, um exercício barato”.

 

 

 


Veja mais matéria sobre Especial

Horta é cultivada como recurso terapêutico


Plantação é uma alternativa para integrar o tratamento dos pacientes e promover a socialização.


90% da violência contra a mulher tem autoria conhecida


Geralmente os agressores são os próprios parentes, amigos ou conhecidos das vítimas.


Planejamento é trunfo do Guarani para retornar a elite


Ponte Preta, Guarani e Red Bull adotam medidas para figurar no cenário nacional do futebol. Restruturação é visto como caminho para retomar os dias de glória do futebol da cidade.


Aplicativo faz identificaçao facial do animal


CrowdPet é o primeiro aplicativo do mundo que realiza reconhecimento facial