Cidades/Geral

Programa IPTU Zero deixa moradores insatisfeitos

O IPTU Zero da Prefeitura de Hortolândia, que visa gerar o abatimento de até 100% do valor do imposto, vem gerando críticas sobre o seu funcionamento. O programa que se iniciou no mês de julho, conta com 21 postos de atendimento para retirada do cartão, porém, segundo os moradores e comerciantes, o projeto não vem trazendo os benefícios anunciados na proposta.

O Projeto, é uma promessa eleitoral do atual Prefeito Ângelo Perugini para gerar um fortalecimento do comércio local, juntamente com o abatimento do imposto. Segundo Marcio Furuno, assessor do Executivo, os moradores ao usarem o cartão, acumulam créditos para quitar o imposto toda vez que consumirem na rede de lojas credenciadas.

Os créditos são gerados pelo percentual de desconto oferecido pelo lojista sobre o valor da compra. Metade dos créditos deve ser utilizada para a quitação do imposto, podendo chegar a 100% do valor. Da outra metade dos créditos, o consumidor poderá usar 40% como quiser nas lojas credenciadas. Os 10% restantes vão para o Fundo de Redistribuição de Renda. Segundo o secretário de Finanças, Pedro Galindo, o valor mínimo de desconto a ser oferecido pelos estabelecimentos conveniados ao programa é de 2%.

Porém, as críticas ao programa vêm crescendo cada vez mais, segundo Biruba Farias, empresário e morador de Hortolândia há 33 anos, a população foi enganada em relação a proposta original do atual prefeito, “Na época da campanha, cansei de ver carros de som pela Cidade, dizendo que se o Prefeito Perugini fosse eleito, Hortolândia iria ter IPTU Zero, além dos seus apoiadores que pediam votos dizendo que ele iria dar o IPTU Zero. No meu ponto de vista foi um golpe eleitoral, cujo o único objetivo era obter votos”.

Farias que também é moderador da página “Tudo sobre Hortolândia”, que possui aproximadamente 5 mil seguidores, e tem o compromisso de cobrar os órgãos responsáveis em prol da sociedade, afirma que recebeu diversas críticas na página do facebook sobre o programa, “Muitas  pessoas estão caindo agora na real que isso foi uma mentira bem orquestrada somente para se obter votos, não existe em lugar nenhum do mundo esse sistema, por tanto não há base, por via de estudos ou pesquisas, de que o que estão propondo pode se tornar realidade. As pessoas falam que foram enganadas por que não existe o  IPTU Zero Proposto pelo Prefeito”.

Página do facebook “Tudo sobre Hortolândia” Administrada por Biruba Farias.

 

A proposta do programa, é referente ao fortalecimento do comércio local, porém, a situação não está agradando os comerciantes cadastrados. Segundo o comerciante Nilton Boarati, dono de uma rede de agropecuárias na região, o programa não está sendo vantajoso para ele, ao contrário do que a população imagina, o único benefício do IPTU Zero é a divulgação do comércio que fizeram no início, porém, no momento não está sendo vantajoso, “O problema do programa é que o comércio não está aderindo, porque quem vai acabar pagando o IPTU do consumidor, somos nós comerciantes, e muita gente não quer participar por isso, pois a prefeitura não está dando benefício, nem incentivo nenhum para o comércio”.

Outra polêmica relatada por Boarati, é que a empresa responsável por associar os comércios ao programa, não está falando a realidade, “A empresa que está cadastrando chega aqui no comércio e fala: Fulano aderiu ao programa, o outro também, mas não é verdade. Aí você fala para o consumidor que ele pode ir em tal comércio que está cadastrado, e ele chega lá e não está”.

Nilton Boarati. Foto: Fernanda Catelan

 

Para a proprietária da Farmácia de Manipulação Biofarma, Elen Paula Vieira, o programa não está sendo atrativo por causa da falta de divulgação, “A maioria dos nossos clientes são idosos, que não tem acesso à internet, nem a televisão, e então não ficam sabendo sobre o programa, pois esses são os únicos meios de divulgação. A gente até oferece para nossos clientes, mas por falta de divulgação, as pessoas não ficam sabendo se é real ou se vai trazer prejuízo”. Carlos Alexandre, vendedor na casa de tinta N&A, também caracteriza a falta de divulgação como maior problema para os comerciantes, “Desde que o programa lançou, ninguém veio procurar, parece que ninguém está sabendo”.

 

Carlos Alexandre. Foto: Fernanda Catelan

O programa está trazendo muita divergência em relação ao valor que deverá ser gasto no comércio para quitação do imposto. Adriano Lopes, morador da cidade há 15 anos, já fez o cartão do IPTU Zero, porém, ao fazer as contas viu que será difícil conseguir o abatimento integral do imposto: “ Quando surgiu a campanha eu fiquei empolgado, fui no primeiro dia fazer o cartão e depois quando cheguei em casa eu fui fazer as contas, e vi que eu vou ter que gastar muito dinheiro para conseguir abater o valor total do imposto”.

Segundo dados da Prefeitura de Hortolândia IPTU no ano de 2014 foi de R$ 25 milhões. Já a arrecadação do IPTU no ano de 2015 foi de R$ 26,7 milhões. Por fim, a arrecadação no ano de 2016 foi de R$ 29 milhões.

 


Veja mais matéria sobre Cidades/Geral

Detergente é o vilão no Tietê


Lixo doméstico é responsável por 85% da degradação do rio


11 cidades da RMC coletam e tratam mais de 80% do esgoto


20 municípios da Região Metropolitana de Campinas tem altos índices de coleta e tratamento de esgoto


Biblioteca de Sousas está fechada há um ano


A Prefeitura não renovou o contrato de locação do local onde as atividades funcionavam


Jaguariúna é a única da RMC que tem 13° para vereadores


Benefício foi aprovado pela Câmara e sancionado pelo Executivo em outubro


Inclusão escolar é dificuldade para as escolas campineiras


Estudantes com necessidades especiais encontram dificuldades nas escolas campineiras.


Laços de Honra: o outro lado do Exército


Aluna do 3° ano de jornalismo faz registros fotográficos do Exército Brasileiro



Pesquise no digitais

Siga – nos

Leia nossas últimas notícias em qualquer uma dessas redes sociais!

Campinas e Região


Trânsito em Campinas

Mais Acessadas

Facebook

Expediente

Digitais é um produto laboratorial da Faculdade de Jornalismo da PUC-Campinas, com publicações desenvolvidas pelos alunos nas disciplinas práticas e nos projetos experimentais para a conclusão do curso. O layout foi desenvolvido em parceria com o Departamento de Desenvolvimento Educacional (DDE) da instituição. Alunos monitores/editores de Agosto a Dezembro de 2017: Breno Behan, Breno Martins, Caroline Herculano, Enrico Pereira, Giovanna Leal, Láis Grego, Luiza Bouchet, Rafael Martins. Professores responsáveis: Edson Rossi e Rosemary Bars. Direção da Faculdade de Jornalismo: Lindolfo Alexandre de Souza.

Assinar por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar e receber notificações de novas publicações por e-mail.