Cidades/Geral

Música dá o tom para família de Campinas

É uma família, mas é também um quinteto: a mãe, Meire Rodrigues, de 48 anos, canta; o pai, Miguel Dias, de 52 anos, toca violão; a filha, Carol, de 25 anos, é professora de escaleta; Renan, de 13 anos, vai de percussão, escaleta e violão; por fim, o caçula, Fábio, de 10 anos, toca flauta.

​Eles moram no bairro Residencial Cosmos e a história do envolvimento com a música começa e continua até hoje ligada ao Instituto Anelo. ​A conselheira fiscal Meire Rodrigues falou sobre a inspiração de todos da casa com instrumentos musicais, que inclusive ajudou a aproximar sua família. São dois filhos alunos, contando com a Carol que estudou lá e atualmente é professora de Escaleta no instituto. O Renan já está no Anelo há quase 7 anos, entrou quando começou o 1º ano do ensino fundamental e participou das turmas de percussão e de escaleta. Agora está no violão, pelo 3º ano consecutivo. Fábio, o caçula, contava os dias para entrar para a turma do Anelo, participava das apresentações dos irmãos e aguardava com ansiedade sua vez de participar. Hoje é aluno da turma de flauta.

Os integrantes da família reunidos: Carol, Miguel Dias, Fábio, Meire Rodrigues e Renan. Foto: João Paulo Sales

Essa história com Instituto Anelo começou quando na escola em que Meire trabalha houve uma apresentação musical, e Carol demonstrou um grande interesse em participar. Assim, realizaram a matrícula e a filha mais velha se iniciou com a turma de violão. A mãe ainda lembra que na época os meninos eram pequenos e somente acompanhavam o desenvolvimento de Carol na música em suas apresentações.

Carol começou bem cedo, com 15 anos, como aluna de violão. Fez curso de música no Souza Lima, com bolsa fornecida pelo Anelo, em São Paulo. Com muita dedicação, a mãe conta que a filha fez parte do Conservatório, também com bolsa pelo Anelo, no Carlos Gomes e na escola de música de Campinas, Chorus Music, desenvolvendo o canto.

Na época de prestar o vestibular, Carol procurou a mãe dizendo que pretendia cursar algo na área da música, devido às boas universidades para estes cursos, e que eram públicas. Há 4 anos ela dá aulas, no Instituto Anelo, no projeto “Brincando com os Sons”, que atende crianças de 6 a 11 anos, começando com cursos de musicalização.

​Para Meire Rodrigues, a música é fundamental: “Ela inspira as pessoas, alegra, aproxima (inclusive a família). Adoro ter a casa cheia de músicos, adoro quando eles começam a ensaiar, adoro fazer vídeo de meu pequeno (que é o que mais gosta de se aparecer!). O que posso fazer para motivá-los na área da música, sempre o farei ”, afirma Meire Rodrigues.

Essa família não é apenas de filhos que são músicos. O comerciante e marido de Meire, Miguel Dias, de 52 anos, também motivado pelo incentivo que vem do Anelo, está na turma que começou este ano, nas aulas de violão. É tão apegado à aula que ele não falta, por nada.

Mesmo com uma casa cheia de músicos a mãe da família não tem o mesmo hábito dos demais. “Eu não toco nenhum instrumento, não. Sou muito tímida, mas às vezes, com o auxílio de minha filha, gosto de cantar”, comentou Meire.


Veja mais matéria sobre Cidades/Geral

Detergente é o vilão no Tietê


Lixo doméstico é responsável por 85% da degradação do rio


11 cidades da RMC coletam e tratam mais de 80% do esgoto


20 municípios da Região Metropolitana de Campinas tem altos índices de coleta e tratamento de esgoto


Biblioteca de Sousas está fechada há um ano


A Prefeitura não renovou o contrato de locação do local onde as atividades funcionavam


Jaguariúna é a única da RMC que tem 13° para vereadores


Benefício foi aprovado pela Câmara e sancionado pelo Executivo em outubro


Inclusão escolar é dificuldade para as escolas campineiras


Estudantes com necessidades especiais encontram dificuldades nas escolas campineiras.


Laços de Honra: o outro lado do Exército


Aluna do 3° ano de jornalismo faz registros fotográficos do Exército Brasileiro



Pesquise no digitais

Siga – nos

Leia nossas últimas notícias em qualquer uma dessas redes sociais!

Campinas e Região


Trânsito em Campinas

Mais Acessadas

Facebook

Expediente

Digitais é um produto laboratorial da Faculdade de Jornalismo da PUC-Campinas, com publicações desenvolvidas pelos alunos nas disciplinas práticas e nos projetos experimentais para a conclusão do curso. O layout foi desenvolvido em parceria com o Departamento de Desenvolvimento Educacional (DDE) da instituição. Alunos monitores/editores de Agosto a Dezembro de 2017: Breno Behan, Breno Martins, Caroline Herculano, Enrico Pereira, Giovanna Leal, Láis Grego, Luiza Bouchet, Rafael Martins. Professores responsáveis: Edson Rossi e Rosemary Bars. Direção da Faculdade de Jornalismo: Lindolfo Alexandre de Souza.

Assinar por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar e receber notificações de novas publicações por e-mail.