Esportes

Falta de patrocínio no kart leva jovens a desistir do esporte

Redação Digitais

No automobilismo o patrocínio é vital para o piloto, sem ele é impossível que o esporte seja praticado com excelência, diferente do futebol e do vôlei, por exemplo, que não utilizam altas tecnologias em equipamentos e componentes. A aquisição dos equipamentos necessários não é barata, afinal, um kart custa aproximadamente R$ 15 mil, sem acrescentarmos os valores das inscrições, pneus, combustível e treinos que aumentam o investimento.

Conseguir um patrocínio no kart é sempre muito complicado, por conta disso, muitos pilotos investem recursos próprios na esperança de atingir uma categoria de alto nível, porém muitos comprometem as finanças pessoais em busca de um sonho ou são obrigados a desistir por não possuírem essa condição financeira.

Um kart chega a custar R$ 15 mil (Foto: Raissa Acácio)

Carlos Andrade, 22, sonhava em ser piloto de Fórmula 1, seguir os passos de grandes nomes, como Ayrton Senna, e competir na Europa, mas os sonhos tiveram que ser interrompidos. O alto custo do automobilismo e as dificuldades na formação técnica no Brasil foram decisivos para que Carlos largasse os planos de carreira, o que infelizmente ainda acontece muito entre os pilotos mais jovens.

Carlos iniciou a faculdade de engenharia automotiva e traçou outros objetivos de vida. “Eu sempre gostei muito de carros, então sempre quis correr, mas depois de muito tentar buscar patrocínio e não conseguir, acabei optando por um curso em que eu poderia estar em contato com os motores, mesmo que não fosse nas pistas”.

Rodrigo Soares em uma de suas corridas (Foto: Divulgação)

Rodrigo Soares, campeão brasileiro de kart, acredita que a falta de recursos aliada à má estrutura brasileira para o esporte é o principal motivo da decadência na mais importante categoria do automobilismo. “Antes, o piloto começava no kart e depois seguia para categorias-escola como a Fórmula Ford, Fórmula Chevrolet ou Renault. Agora elas não existem mais e quem sonha com a Fórmula 1 tem que se aventurar na Europa, na maioria das vezes bancando do seu próprio bolso, sem ter uma base técnica bem formada”, explica Rodrigo.

O alto custo

Do kart à F-1, todo o investimento pode chegar a R$ 60 milhões. Uma temporada na FIA Fórmula 2, o melhor caminho para a F-1, custa em torno de R$ 10,2 milhões. Porém, nada se compara aos cifrões do automobilismo disputado na Europa, principalmente em razão da diferença de câmbio. A verdade é que hoje têm muito mais pilotos pagando para correr.

Por: Raissa Acácio

Editado por Murilo Pellucci


Veja mais matéria sobre Esportes

Desemprego atinge 60% dos jogadores de futebol no Brasil


Desemprego entra em campo e também atinge profissionais do esporte


Equipe treina para as Paraolimpíadas de Tóquio


O time GADECAMP de basquete está se preparando para as paraolimpíadas de Tóquio 2018


Times de Campinas apostam em reestruturação


Restruturação é vista como caminho para retomar os dias de glória do futebol da cidade


Projeto junta mães e bebês na prática de esportes


Projeto campineiro melhora a forma física de mães que cuidam de recém-nascidos


Preconceito ainda está presente no meio esportivo


Redação Digitais O preconceito continua a ditar a dinâmica de muitos esportes. Infelizmente são comuns


Jovem roda o mundo construindo pistas PumpTracks


Redação Digitais Eduardo Arruda acredita que são as bicicletas que realmente movem o mundo! Uma



Pesquise no digitais

Siga – nos

Leia nossas últimas notícias em qualquer uma dessas redes sociais!

Campinas e Região


Trânsito em Campinas

Facebook

Expediente

Digitais é um produto laboratorial da Faculdade de Jornalismo da PUC-Campinas, com publicações desenvolvidas pelos alunos nas disciplinas práticas e nos projetos experimentais para a conclusão do curso. O layout foi desenvolvido em parceria com o Departamento de Desenvolvimento Educacional (DDE) da instituição. Alunos monitores/editores de Agosto a Dezembro de 2017: Breno Behan, Breno Martins, Caroline Herculano, Enrico Pereira, Giovanna Leal, Láis Grego, Luiza Bouchet, Rafael Martins. Professores responsáveis: Edson Rossi e Rosemary Bars. Direção da Faculdade de Jornalismo: Lindolfo Alexandre de Souza.

Assinar por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar e receber notificações de novas publicações por e-mail.