Estilo de Vida

Jovens recorrem a alternativas gratuitas para enriquecer currículo

Por Isadora Gimenes

Melhorar o currículo tem sido um desafio ainda maior para universitários e recém formados. Em tempos de crise e menos vagas de emprego – ou seja, mais competitividade – uma pesquisa da Companhia de Estágios (consultoria de pesquisas) mostra que, além de tudo, jovens têm tido menos recursos para investir em qualificações que são cobradas pelo mercado. De acordo com o levantamento, 70% dos jovens está à procura de vagas de estágio atualmente, mas não conseguem investir no currículo e, por isso, aplicativos, workshops e cursos gratuitos têm sido alternativas viáveis para esse público.

A recém-formada em Relações Públicas Beatriz Oliveira conta que, com o dinheiro que ganha, é praticamente impossível investir em cursos que incrementem seu currículo. “Não há dinheiro, e o mercado é extremamente competitito – hoje, muito mais do que há cinco anos atrás, por exemplo. Então invisto em pagar necessidades básicas, mesmo”, desabafa a jovem de 23 anos.

Melhorar o currículo é considerado um desafio ainda maior em tempos de crise, diz pesquisa (Foto: Isadora Gimenes)

Segundo a pesquisa, algumas das especializações mais cobradas no mercado são capacitações em idiomas ou pacote Office (que reúne Word, Excel, PowerPoint e outros programas). Mas nem todo jovem tem recursos para investir dinheiro nessas especializações.

“Procuro usar a internet em meu benefício para evitar custos e vivo procurando workshops e aplicativos”, conta Beatriz. “Isso facilita meu acesso ao conhecimento hoje em dia. Estou ligada sempre em palestras oferecidas gratuitamente por instituições e pela prefeitura, também”.

Entre os aplicativos gratuitos de idioma mais bem-avaliados por jovens, hoje, estão o Lingvist, o Duolingo, o Wilingua e o Hello English. A partir de atividades oferecidas por esses programas – disponível tanto para plataformas Android quanto iOS – é possível se especializar e treinar línguas que estão em demanda no mercado, como inglês e espanhol.

Já para aprender a mexer em pacotes Office ou especializacões gramaticais, muitos jovens recorrem, hoje, a tutorias gratuitos no YouTube. O canal Resolvendo Dúvidas, por exemplo, oferece aulas acessíveis e simples de como mexer em programas como o Word e o Excel, bastante utilizados por empresas atualmente.

Este vídeo do canal, por exemplo, ensina a otimizar o uso do Word:

A relações públicas conta, também, que recursos como esses já a ajudaram muito. “Hoje, temos que usar e abusar dos recursos que temos e que são oferecidos à nossa geração, especialmente pela internet. São novas maneiras de se capacitar que fazem parte do perfil do jovem que vai atrás do que quer”, diz, e ainda afirma que muitas empresas valorizam isso. “Você pode não aprender algo da maneira tradicional, mas o fato de correr atrás do prejuízo para se capacitar e incrementar o currículo é valorizado, sim. E uma boa alternativa!”.

Aplicativos gratuitos para Android e iOS oferecem ajuda gratuita para aprender inglês (Foto: Isadora Gimenes)

Editado por Carolina Sampaio


Veja mais matéria sobre Estilo de Vida

Veganismo, uma nova forma de se alimentar


A gastronomia vegana exclui qualquer tipo de alimento de origem animal


A dança como um esporte


A modalidade atrai pessoas que buscam por atividade física


Mulheres buscam aulas de defesa pessoal


Mulheres buscam se defender caso aconteça algum tipo de assédio


Atividade física na infância economizaria R$ 70 bilhões


Pesquisa dos EUA aponta que exercícios reduzem despesas médicas ao longo da vida


Amor entre brasileiro e tailandesa vence distância


Eles conversaram por quase dois anos antes de finalmente se encontrarem pessoalmente


Tecnologias auxiliam jovens que sofrem com o transtorno


Estou à procura de um jovem que não sinta ansiedade! Se você tem de 18



Pesquise no digitais

Siga – nos

Leia nossas últimas notícias em qualquer uma dessas redes sociais!

Campinas e Região


Trânsito em Campinas

Facebook

Expediente

Digitais é um produto laboratorial da Faculdade de Jornalismo da PUC-Campinas, com publicações desenvolvidas pelos alunos nas disciplinas práticas e nos projetos experimentais para a conclusão do curso. O layout foi desenvolvido em parceria com o Departamento de Desenvolvimento Educacional (DDE) da instituição. Alunos monitores/editores de Agosto a Dezembro de 2017: Breno Behan, Breno Martins, Caroline Herculano, Enrico Pereira, Giovanna Leal, Láis Grego, Luiza Bouchet, Rafael Martins. Professores responsáveis: Edson Rossi e Rosemary Bars. Direção da Faculdade de Jornalismo: Lindolfo Alexandre de Souza.

Assinar por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar e receber notificações de novas publicações por e-mail.