Estilo de Vida

Especial Mães: um dia para ser comemorado em todos os outros

Por Redação Digitais

Há quem diga que o dia das mães deve ser comemorado todos os dias. Há também aqueles que dizem que mãe é tudo igual. Pode até ser, mas uma coisa é certa: a vida de toda mulher muda depois de se tornar mãe. Para celebrar este dia tão especial, o Digitais selecionou tipos diferentes de mães para parabeniza-las de todas as formas.

Mãe de primeira viagem
A jornalista Thaís Pimenta, de 24 anos, vai comemorar o primeiro Dia das Mães em 2017. Ela engravidou do Eduardo, que nasceu em agosto de 2016. Na época, Thaís não tinha um relacionamento sério com o pai do bebê e entre idas e vindas do romance descobriu a gravidez. Nessa época, já com quatro meses, a irmã não aceitou muito bem a situação a princípio, já que sempre quis ser mãe e era casada.

Thaís grávida de 7 meses do Eduardo Foto: Arquivo Pessoal

“No quesito psicológico foram cinco meses de sofrimento, dúvidas sobre como seria minha vida dali pra frente e muito medo por estar sozinha e, ao mesmo tempo, com alguém que ia precisar de mim assim que nascesse”, conta.

O pai do bebê optou não só por se afastar, mas por desaparecer por completo durante três meses. “Ele dizia que não ia contar para a família, que não ia assumir o bebê. Nessa fase eu já estava decidida a criar o meu filho sozinha, independente de qualquer ajuda”.

Thaís conta que um dos principais medos era o de não ser uma boa mãe e de não saber educar por estar sozinha.  “Minha maior dúvida era o que falaria para o meu filho quando ele perguntasse do pai, porque a rejeição é uma situação muito triste e frustrante para pessoas como nós, que somos adultas, imagina para uma criança. Imagina ela vendo todo mundo com pai e mãe e eu sozinha? Pensei até em dizer que ele tinha morrido para evitar traumas. Mas sabia também que esse tipo de mentira nunca se sustentaria por muito tempo”, desabafa.

Atualmente, Eduardo está com nove meses e o pai resolveu assumir o filho e o relacionamento. “No fim da minha gravidez, ele contou para a família que eu estava grávida e eles me deram muito apoio. Posso dizer que o nascimento do Dudu transformou o Daniel. Parece que todo aquele sentimento ruim foi embora e o amor pelo filho só cresceu. Ele pediu desculpas por tudo o que fez, mostrou um grande arrependimento e hoje estamos noivos”.

Thaís e Eduardo em uma sessão de fotos (Foto: Arquivo Pessoal)

Mensagem de Thaís para o Dia das Mães: “Não desistir nunca. Às vezes parece que estamos numa tempestade que não vai passar nunca, mas precisamos enfrentar a chuva para poder ver o sol. Deus não manda um filho pra gente sofrer. Ele manda para nos transformar, para trazer alegria. Hoje, com ele, minha família está completa. Eu só posso agradecer e continuar a minha luta para escolher sempre o melhor caminho, para ter sabedoria e poder cuidar e educar o Eduardo”.

Mãe moderna
A maquiadora Sintia Gasparini, de 35 anos, é mãe de três meninos: Gabriel, de 16 anos, Felipe, de 12, e Rafael, de 11. O primeiro veio quando ela tinha 18 anos, o segundo aos 23 e o terceiro aos 24. Na segunda gestação, aos 6 meses, ela descobriu um cisto que estourou e precisou remover a trompa e o ovário. “Fiquei uma semana internada com risco e dor, mas me recuperei e segui ótima até o final”.

Sintia e os três filhos, em 2013 (Foto: Arquivo Pessoal)

Sintia conta que nunca tinha pensado em se tornar mãe até engravidar. “Depois do primeiro eu quis o segundo e, em seguida, engravidei  do terceiro. Foram surpresas muito gratificantes esses garotões”, conta emocionada.

A maquiadora afirma que o fato de ter sido mãe nova facilita muito na relação com os filhos atualmente.  “Claro que não existe uma receita de como ser uma boa mãe. Erros e acertos fazem parte desse processo, independente da idade. Aprendo muito com eles e vice-versa”.

Depois das gestações, Sintia considera que a vida mudou completamente e que teve que se moldar diante da maternidade. “A gente fica sem tempo, há um aumento brusco da ansiedade, principalmente sobre você estar fazendo seu papel bem ou não, e por aí vai. A cada etapa da vida deles é uma nova mudança que você vive”, afirma.

Sintia e os 3 filhos de férias em 2017 (Foto: Arquivo Pessoal)

Mensagem de Sintia para o Dia das Mães: “Vamos amar mais nossos filhos, abraçá-los, beija-los, dizer o quanto amamos eles estarem presentes na nossa vida sempre que termos oportunidade. Nosso bem mais precioso é o tempo. Nosso tempo é valioso e escasso, nunca sabemos quanto ainda nos resta, então vamos usá-lo ao máximo dedicando ao nosso melhor bem feito nessa vida, que são nossas crianças. Que não nos falte tempo para amar e dedicar aos nossos filhos”.

Mãe há 56 anos
A aposentada e viúva Marieta Lopes de Paula, de 78 anos, tem seis filhos. Ela casou-se em 1960 e teve o primeiro filho no ano seguinte. Como o marido era alcoólatra, ela teve que trabalhar fora de casa.

“Todas a gestações foram muito bem, eu me sentia feliz grávida, por isso eu fiquei tantas vezes e tive bastantes filhos, porque eu ficava feliz com aquele momento. E quando nascia, ficava mais ainda”, conta emocionada.

Marieta considera que naquela época era mais fácil educar, já que não tinha tanta influência das redes sociais, mas por trabalhar fora, sentia-se culpada por não conseguir ficar tanto tempo com as crianças. “Fiz escola de enfermagem, parei e depois comecei a trabalhar como atendente de enfermagem. Anos depois, fiz auxiliar de enfermagem na PUC-Campinas e trabalhei durante 30 anos como enfermeira”.

Marieta segurando álbum com fotos dos filhos quando eram crianças (Foto: Ana Laura Dellapina)

Mensagem de Marieta para o Dia das Mães: “Para as mães mais velhas, que cumpriram o seu dever, meus parabéns. Para as mães mais novas, que agora está muito difícil de criar os filhos, com tanta violência, eu deixou um louvor também, porque quem consegue criar bem agora, merece o meu abraço”, conclui.

Marieta costumava escrever os anseios de sua vida em um diário. No vídeo abaixo, ela lê um trecho que fala sobre a dádiva e o desafio ser mãe:

Você e sua mãe no Digitais:

Editado por Júlia Groppo


Veja mais matéria sobre Estilo de Vida

Veganismo, uma nova forma de se alimentar


A gastronomia vegana exclui qualquer tipo de alimento de origem animal


A dança como um esporte


A modalidade atrai pessoas que buscam por atividade física


Mulheres buscam aulas de defesa pessoal


Mulheres buscam se defender caso aconteça algum tipo de assédio


Atividade física na infância economizaria R$ 70 bilhões


Pesquisa dos EUA aponta que exercícios reduzem despesas médicas ao longo da vida


Amor entre brasileiro e tailandesa vence distância


Eles conversaram por quase dois anos antes de finalmente se encontrarem pessoalmente


Tecnologias auxiliam jovens que sofrem com o transtorno


Estou à procura de um jovem que não sinta ansiedade! Se você tem de 18



Pesquise no digitais

Siga – nos

Leia nossas últimas notícias em qualquer uma dessas redes sociais!

Campinas e Região


Trânsito em Campinas

Facebook

Expediente

Digitais é um produto laboratorial da Faculdade de Jornalismo da PUC-Campinas, com publicações desenvolvidas pelos alunos nas disciplinas práticas e nos projetos experimentais para a conclusão do curso. O layout foi desenvolvido em parceria com o Departamento de Desenvolvimento Educacional (DDE) da instituição. Alunos monitores/editores de Agosto a Dezembro de 2017: Breno Behan, Breno Martins, Caroline Herculano, Enrico Pereira, Giovanna Leal, Láis Grego, Luiza Bouchet, Rafael Martins. Professores responsáveis: Edson Rossi e Rosemary Bars. Direção da Faculdade de Jornalismo: Lindolfo Alexandre de Souza.

Assinar por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar e receber notificações de novas publicações por e-mail.