Estilo de Vida

Tecnologias auxiliam jovens que sofrem com o transtorno

Estou à procura de um jovem que não sinta ansiedade!

Se você tem de 18 a 20 anos e, assim que leu essa frase,  passou pela sua cabeça algo que remeta à dificuldade dessa busca, ou debochou da procura, com certeza você se encaixa no perfil de pessoas ansiosas, junto de outras 6 pessoas em cada 10 da sua faixa etária. Este dado é do Instituto de Pesquisa e Orientação da Mente (Ipom), que analisa todo tipo de transtorno psicológico entre as pessoas.

Sim, transtorno psicológico. O frio na barriga antes de uma entrevista de emprego não é um transtorno, mas o frio na barriga antes da entrevista, antes de um jantar especial, antes de uma prova e antes de qualquer coisa que tenha importância na sua vida, esse sim é reconhecido como um problema e precisa ser tratado antes de prejudicá-lo.

Este é o caso da estudante Lívia Vieira, de 23 anos, que trata a ansiedade com acompanhamento psicológico desde a adolescência, quando foi diagnosticada com transtornos de Personalidade Borderline e Ansiedade Generalizada. Graças ao diagnóstico e ao acompanhamento, hoje a jovem consegue controlar o sentimento ruim. Segundo a jovem, a ansiedade a paralisa. “Para dormir, eu conto as horas de sono e me forço a dormir no horário. quanto mais tarde fica, mais ansiosa eu fico pensando ‘se eu dormir agora, tenho 5 horas para dormir. se eu dormir agora, tenho 4:30h pra dormir’… e assim vou madrugada adentro”, conta Lívia.

Porém, o tratamento psicológico ainda é um tabu e a ansiedade ainda é tratada como um “nervosismo normal” em muitas famílias, então não são todos os jovens que conseguem fazer o tratamento completo e precisam encontrar novos métodos para aliviar esse sentimento que o incapacita. Essa é a realidade do estudante Yago Farina de 21 anos, que desde pequeno fazia esportes para gastar energia e não se sentir mal, mas com a rotina de faculdade-estágio, não encontrou mais horas vagas para seu estimado Kung Fu.

Quando fico parado por muito tempo é horrível, me falta até o ar, porque eu fico pensando em tudo que tenho para fazer, mas a ansiedade toma conta de mim e acabo perdendo o foco. As soluções que eu encontrei são as que se encaixam na minha rotina, por exemplo, quando eu vou estudar eu fico muito ansioso, fico muito estressado, cansado, e o método que eu uso para amenizar isso é escutar música clássica.”, conta Yago.

Além da música clássica o jovem conta que baixou aplicativos no celular para respiração e para ansiedade, pois consegue fazer alguns minutinhos de concentração mesmo na correria do dia-a-dia.

A psicóloga Amanda Teixeira conta que os métodos de ouvir músicas calmas, escrever diários e sempre estar em movimento realmente aliviam os sintomas quando não estão em crise, mas que não se deve pensar que essa é a cura para o transtorno. “Ficar mexendo nos spinners vão acalmar a pessoa naquele momento, mas terão outras situações que a ansiedade vai tomar conta dela e ela não saberá como lidar. É como tomar um antitérmico para febre, enquanto você na verdade está com alguma inflamação no corpo.” explica.

Novidades

Editorial:

Pode-se encontrar diversos livros para aliviar ansiedade como “Destrua esse diário”, em que cada página você deve desenvolver uma atividade relaxante ou escrever algo bom do seu dia. O mercado editorial desse tipo de publicação cresceu de 19 para 20 milhões de exemplares em um ano, segundo levantamentos do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (Snel).

Tecnologia contra a ansiedade:

Aplicativos para meditação e controle da respiração são encontrados facilmente na App Store de Android e IOS, como o aplicativo Breath, que pode programar a intensidade e o tempo de exercício. Nele a pessoa fica tão concentrada em acompanhar o ritmo da respiração que acaba “esquecendo” a ansiedade.

Instrumentos:

O lançamento do Spinner surgiu como um brinquedo para crianças com déficit de atenção, mas teve suas vendas voltadas para o público de 18 a 35 anos. O brinquedo custa cerca de 20 reais e pode ser comprado facilmente pela internet. A partir desse sucesso foram desenvolvidos outros apetrechos para os jovens ansiosos como o Fidget Cube, que custa aproximadamente 40 reais e também deve ser comprado online.

 

Por Isabel Ruiz

Editado por Larissa Alcântara

 


Veja mais matéria sobre Estilo de Vida

Veganismo, uma nova forma de se alimentar


A gastronomia vegana exclui qualquer tipo de alimento de origem animal


A dança como um esporte


A modalidade atrai pessoas que buscam por atividade física


Mulheres buscam aulas de defesa pessoal


Mulheres buscam se defender caso aconteça algum tipo de assédio


Atividade física na infância economizaria R$ 70 bilhões


Pesquisa dos EUA aponta que exercícios reduzem despesas médicas ao longo da vida


Amor entre brasileiro e tailandesa vence distância


Eles conversaram por quase dois anos antes de finalmente se encontrarem pessoalmente


Dieta de restrição ao glúten para pessoas não celíacas pode trazer problemas à saúde


Redação Digitais Pesquisadores das universidades de Harvard e Columbia, nos Estados Unidos, realizaram um estudo que



Pesquise no digitais

Siga – nos

Leia nossas últimas notícias em qualquer uma dessas redes sociais!

Campinas e Região


Trânsito em Campinas

Facebook

Expediente

Digitais é um produto laboratorial da Faculdade de Jornalismo da PUC-Campinas, com publicações desenvolvidas pelos alunos nas disciplinas práticas e nos projetos experimentais para a conclusão do curso. O layout foi desenvolvido em parceria com o Departamento de Desenvolvimento Educacional (DDE) da instituição. Alunos monitores/editores de Agosto a Dezembro de 2017: Breno Behan, Breno Martins, Caroline Herculano, Enrico Pereira, Giovanna Leal, Láis Grego, Luiza Bouchet, Rafael Martins. Professores responsáveis: Edson Rossi e Rosemary Bars. Direção da Faculdade de Jornalismo: Lindolfo Alexandre de Souza.

Assinar por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar e receber notificações de novas publicações por e-mail.